Blog

Passadas as eleições, por que a tecnologia terá papel fundamental para o Brasil?

Tecnologia

Passadas as eleições, por que a tecnologia terá papel fundamental para o Brasil?

Por que falar de 2019 quando ainda temos muitos meses em 2018 pela frente? Porque, depois do fim da Copa, a eleição do novo presidente da República é o último evento previsto com grande impacto na economia Brasil, tão castigada por todos os eventos dos últimos 3 anos – que vão desde impeachments, operação anticorrupção, e delações e mais delações (sem falar na greve dos caminhoneiros).

O Brasil chegará a uma bifurcação, imperativa, sem escapatória e sem atalho:

• Ou toma o rumo do crescimento, rumo esse que não deveria ter saído desde 2014, quando os problemas políticos do governo criaram uma crise econômica até aquele momento inexistente (e, nesse ponto, temos que concordar que houve muita criatividade para se criar a crise daquele jeito, com retrocesso na ordem que 7% no PIB, por 2 anos seguidos!);
• Ou continua vegetando, hibernando, sem recuperar no prazo curto, o que é temido e inaceitável (já se houve falar muito de “evitar ser outra Venezuela”).

Os especialistas dizem que, quanto pior a crise, mais lenta a recuperação deve ser para realmente se manter. Os mercados precisam sentir segurança novamente na economia brasileira.

A utilização das novas tecnologias deverá ter um papel importante nesta recuperação. Ao mesmo tempo que o Brasil tenta se curar dos seus problemas tupiniquins, novos panoramas mundiais estão se apresentando – como a guerra econômica entre as duas maiores potências econômicas, EUA e China; o processo de saída da Inglaterra da Comunidade Europeia e a remodelação do NAFTA.

Mas qual o impacto que a tecnologia pode ter na economia do Brasil? Um exemplo claro é o do agronegócio. Ainda na crise em 2017, segundo o Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento o crescimento do setor foi de 13%, o que foi definitivo para o avanço de 1% do PIB. O emprego de tecnologia no processo de cultivo brasileiro é conhecido mundialmente e até copiado por outras potências.

A tecnologia tem o poder de construir, criar, multiplicar, aperfeiçoar e derrubar desafios que outrora eram impossíveis. A melhoria de produtividade está no âmago da questão da recuperação da indústria brasileira – e ela tem que se apoiar em tecnologia.

Sobre a educação nos países desenvolvidos, a tecnologia tem sido a estrela no avanço dos novos formatos e conteúdo. Literalmente lançam as bases para uma civilização mais preparada para o futuro.

A Lattine tem contribuído avidamente no importante papel de aumentar a competitividade de empresas nacionais que, além dos problemas domésticos, cada vez mais enfrentam a concorrência internacional num mercado globalizado e competitivo.

Nos últimos meses, a Lattine tem acelerado o seu trabalho, ajudando dezenas de empresas na sua transformação digital, criando comportamento e intelecto digital, por meio de compartilhamento de conhecimento, apoio e fornecimento de software como serviço, distribuição de soluções e ferramentas Microsoft que tornam as empresas mais digitais.

Os mecanismos que a Lattine acredita que serão importantes para o crescimento de um melhor ambiente competitivo são apoiados em formato nuvem (Azure), baseados em mobilidade e escalabilidade para organizações de todos os tamanhos, de todos os setores, não importando a região geográfica.

Por exemplo, a família Microsoft Dynamics 365 é constituída de aplicações de negócio, como automação de vendas (Dynamics 365 for Sales), gestão de serviços de campo (Dynamics 365 for Field Service) e serviços aos clientes (Dynamics 365 for Customer Service) que tem ajudado na melhoria de desempenho das empresas e contribuído para um cenário mais produtivo e controlado.

Enfim, são vários os campos que carecem de investimento em tecnologia, e atualmente esta demanda tem se acentuado.

Olhando para outros mercados internacionais, a Lattine entende que cada vez mais o intelecto digital terá um papel determinante no futuro do Brasil, assim como a estabilidade política. Por isso, todos esperamos que as eleições cumpram seu papel e que tenhamos um 2019 melhor.


Autor(es):

Claudio

Claudio Reina

Co-founder, Executive Director